Corria o mês de Maio de 1981 quando dois amigos e conterrâneos, ambos recém licenciados em Engenharia Electrotécnica , constituíram uma empresa de prestação de Serviços. A área de actividade abrangia o design informático e a electricidade e eletrónica; daí o nome da empresa DESINEL. Durante algum tempo, os serviços relacionados com a concepção de pequenos automatismos electrónicos e com o projecto eléctrico de instalações foram dominantes. No entanto, gradualmente, o desenvolvimento de software aplicacional foi absorvendo mais e mais tempo, tendo vindo a constituir-se como a principal actividade da DESINEL.

Trabalhava-se, então, em aplicações de contabilidade geral e de vencimentos e utilizavam-se sistemas informáticos com capacidades de memória fascinantes – 64 KB – e disquetes de 140 KB; um disco rígido de 10 MB era um luxo a que poucos se podiam dar. As principais concorrentes eram, sobretudo, as velhas “máquinas de contabilidade” e nunca será esquecido um negócio perdido quando um hotel preferiu adquirir uma máquina registadora com teclas programáveis em vez de um computador e respectivos programas – ainda por cima sendo a registadora mais cara.

Eram tempos em que as pessoas olhavam para os computadores, e para este tipo de empresa, com absoluta desconfiança. Mas os dois jovens empresários não desistiram; continuaram a produzir e a melhorar os seus sistemas; participaram em feiras e exposições. E os clientes começaram a surgir e a ficarem satisfeitos. Daí as solicitações para ambientes mais exigentes como os de multi-utilizador, etc.

Foi então que se tornaram importadores e representantes do Sistema Operativo Mirage. Este foi, durante alguns anos, o sistema operativo multiuser mais difundido na região centro. Corria em máquinas com a arquitectura dos 68000 e permitia, sem qualquer problema, a ligação de 16 terminais dumb. São desta altura, 85 – 86, as aplicações verticais para a indústria de confecções e casas de peças de automóvel que instalaram em diversas empresas, muitas das quais ainda hoje se contam entre as clientes da DESINEL.

Foi desta forma que se especializaram na análise de sistemas e subsequente desenvolvimento de aplicações “à medida”. Entretanto o Mirage tinha perdido a corrida para o Unix e este era muito exigente quanto ao hardware. Urgia, então, encontrar uma plataforma que apresentasse um desempenho satisfatório e um custo acessível. Ensaiaram, então, soluções baseadas em Multiuser – Dos, que lhes permitiram utilizar os terminais instalados nos clientes. Era uma solução económica que permitia, também, a utilização de PC’s como terminais. No entanto, esta alteração obrigou à reconversão total de todo o software.

Por esta altura, já nos anos 90, os seus clientes tornaram-se mais exigentes; já não lhes bastava o controle dos processos; queriam mais; exigiam poder aceder à informação e analisá-la utilizando ferramentas de uso comum, transformá-la em gráficos, etc. Era o avanço imparável do Windows e das suas aplicações. Assim, passaram a desenvolver software para redes Netware de PC’s correndo Windows.

Hoje utilizam apenas Windows NT / Windows 2000 / Windows 2003 em servidores e Windows 9x / XP e posteriores nos terminais. Grande parte das suas aplicações são aplicações Windows, todas as aplicações novas são desenhadas para Windows.

Relativamente ao futuro, a Desinel quer continuar a ser uma pequena empresa que faz questão de prestar um serviço de qualidade aos seus clientes. Pretende continuar a implementar soluções à medida das necessidades dos seus clientes e a comercializar hardware que acompanhe as aplicações produzidas e destinadas ao mercado profissional. Passaram, também, a disponibilizar gratuitamente alguns dos aplicativos a quem lhes compre hardware Informático.

A Desinel é uma empresa ambiciosa e pretende expandir o desenvolvimento de software ao mercado nacional. Os respectivos clientes confirmam a qualidade e a simpatia que lhes é característica, daí a sua fidelidade.

DESINEL Software ©

Superior pela Simplicidade!

As marcas, nomes de marcas e empresas, aqui usadas, servem unicamente para motivos de identificação e serão marcas registadas dos seus respectivos proprietários.